Floral de Bach: Vervain

Verbena officinalis

Extraído da Verbena officinalis, é o 6 o. floral encontrado pelo Dr. Bach no verão de 1930, próximo a Cromer, uma cidade litorânea do Reino Unido. Elaborado pelo método solar.

É indicado para as pessoas que tem idéias fixas e precisam, à todo custo, convencer os outros a compartilhar da mesma idéia, afinal ela é “ótima e fará bem para todos” (!?), por vezes, é imbuído de um forte senço de justiça, mas o entusiasmo é tão grande que perdem a noção do limite. Limite das próprias forças, por vezes ficam extenuados, e limite diante do outro. Empolgação, energia, coragem, entusiasmo, idealismo,  são palavras relacionadas ao floral Vervain.

O Vervain  no estado negativo é o fanático. No positivo é aquele que fala com entusiamo verdadeiro, empolgação, paixão, que consegue tocar a alma das pessoas e por isso contagia. Contagia, influencia, cura, lidera, como líderes políticos e religiosos fizeram e fazem.

Este Floral é ligado ao elemento Fogo, e este elemento tem a energia para transformar, mas também para destruir. O Fogo gera energia que levará a concretização do ideal, esse é propósito da energia do entusiasmo. Nas polaridades do entusiasmo, há o eufórico com excesso de energia de convencimento e o apático, podendo chegar à depressão, quando perde o contato com verdadeiro entusiasmo e se afasta do mundo, isolando-se. A bipolaridade é a oscilação deste entusiasmo, para auxiliar na retomada do equilíbrio: Vervain e Scleranthus (oscilação), para a fase depressiva é importante acrescentar Mustard ou Gentian.

Perseverança, entusiasmo verdadeiro, energia e força para a realização dos ideais, respeito ao espaço do outro e a si-mesmo são qualidades despertadas através desta essência floral.

O estado negativo pode levar à tensão nervosa, rigidez muscular, dores crônicas, tiques, manias, bruxismo, além de distúrbios sexuais (euforia sexual, apatia e falta de libido). Pode ser usado para equilibrar qualquer desgaste que tenha sido originado pelo excesso de empolgação.

O floral auxiliará a ouvir e a respeitar o ponto de vista de outras pessoas.

A criança Vervain é “empolgada”, que mexem em tudo, sem limites, com excesso de energia, às vezes com dificuldades de adormecer por não conseguir “apagar” o entusiasmo.

A Verbena é usada há muito tempo para limpeza e proteção de espaços sagrados, sendo considerada uma erva sagrada por vários povos da antiguidade. 

Observação: o Floral é complementar a outros tratamentos, não substitui o tratamento médico.

Foto: sxc.hu

Ainda sobre cidreiras: chás

 A Luciana, minha irmã, escreveu um comentário no post sobre “cidreiras”, e pediu que eu falasse sobre a diferença entre os chás. Vamos lá!

Capim-cidreira ou capim-limão (Cymbopogon citratus): Insônia, palpitações, gases, dores de cabeça.

A Verbena que produz o chá, em Inglês “Vervain” – o mesmo do floral de Bach,  é extraído da Verbena officinalis, espécie diferente da que é extraído o óleo essencial de Verbena (Lippia citriodora), o chá da Verbena officinalis é recomendado para debilidade orgânica, inflamações de garganta, problemas renais e hepáticos.

Lippia alba: problemas gastrointestinais, insônia, resfriados, calmante.

Melissa (Melissa officinalis): Sedativo, diurético, dores de cabeça. Encontrei no livro Plantas Medicinais, François Balmé (Hemus Ed.), a história sobre a famosa e poderosa Água de Melissa, encontrada nas farmácias, que é uma receita usada há séculos pelas carmelitas francesas, indicada como calmante, antiespasmódico e “antistérico” (sic).

Aqui está a receita que François Balmé, coloca em seu livro, eu ainda não fiz… terei que ir em busca das flores de melissa frescas!

 

Água de Melissa

  • 350 grs de flores frescas de melissa
  • 75 gr de casca de limão (só a parte amarela)
  • 40 gr de canela em pau
  • 40 gr de cravo
  • 40 gr de noz moscada
  • 20 gr de coentro
  • 20 gr de raiz de angélica

Macerar todos os ingredientes em 2 e 1/2 litros de álcool 70. Após 4 dias, filtrar com filtro de papel, conservando o líquido em um frasco bem fechado. A dose recomendada é 1/2 (meia!) colher de café em uma xícara de chá ou água quente.

Esta receita foi copiada do livro sem alterações.

 Foto: Cheryl Empey/sxc.hu