Tea tree 2

O blog ganhou de presente as fotos do Tea tree-zinho, que está com 1,70 da Eliane Zimmermann. Adorei!
A Eliane mora na Irlanda e entende muuuito de Aromaterapia, dá cursos sobre o assunto e tem livros publicados (pena que) em alemão.
Clique aqui para acessar o site da AIDA Aromatherapy International.

 

 

 

Receitas com Tea tree

Algumas receitas com o óleo essencial de Tea tree (Melaleuca alternifolia)

No aromatizador para “limpeza” de ambiente, tanto energética, como para ambientes em que há pessoas doentes:

  • 3 gotas de óleo essencial de Bergamota  (Citrus aurantium var. bergamia)
  • 4 gotas de óleo essencial de Folhas de Ho ou Lavanda (Lavandula officinalis)
  • 1 gota de óleo essencial de Tea tree (Melaleuca alternifolia)

No álcool gel, para incrementar o poder antiséptico:

  • 100 ml de álcool gel (neutro, sem essências)
  • 40 a 60 gotas de óleo essencial de Tea tree

Misture bem, guardar em frasco de vidro escuro.

Atenção: se for usar em crianças pequenas use apenas 20 gotas de óleo essencial de Tea tree.

Agora um sabonete líquido com aroma bem fresquinho, que combina com cozinha e ajuda na assepsia das mãos.

  • 250 ml de base neutra de sabonete líquido
  • 15 gotas de óleo essencial de Capim limão (Cymbopogon citratus)
  • 5 gotas de óleo essencial de Hortelã-pimenta (Mentha piperita)
  • 20 gotas de óleo essencial de Lavanda
  • 5 gotas de óleo essencial de Tea tree
  • 5 gotas de óleo essencial de Alecrim (Rosmarinus officinalis)
  • Misture bem, coloque em um frasco de vidro, escuro.

Tea tree

Tea tree é um óleo essencial conhecido em aromaterapia por seu valor antiséptico, seu nome científico é Melaleuca alternifolia. É extraído através da destilação a vapor de folhas e ramos, e faz parte da família botânica Myrtaceae, mesma família botânica do eucalipto, cajepute (Melaleuca leucadendron) e niauli (Melaleuca quinquenervia).

O nome Melaleuca é originado do grego melas = escuro, leukos = branco e refere-se ao contraste entre as folhas escuras e a casca fina e branca.

Esta árvore, cresce a uma altura média de 7 metros, e o maior produtor deste óleo é a Austrália.

O óleo essencial é claro, poucas pessoas gostam de seu aroma fresco, pungente e bem medicinal.

Rico em componentes químicos, como: alfaterpineol, cineol, pineno, alfaterpineno, cimeno, beta-cariofileno. Algumas de suas propriedades terapêuticas são: antiséptico, antiinfeccioso, antibiótico, balsâmico, antifúngico, antivírus, antiparasitário, vulnerário, antiinflamatório, expectorante, imunoestimulante, descongestionante, analgésico.

Recomendado para: picada de inseto, coceira, micose de unha, dermatite, piolho, dor de garganta, furúnculo, sarna, pele oleosa, acne, artrite, dores de resfriados, doenças infecciosas em geral, dores musculares e artrite, herpes labial, enxaqueca,  problemas respiratórios (asma, coqueluche, bronquite, sinusite), entre outros.

Mental e emocionalmente tem efeito “energizante”, atua sobre a fadiga mental, debilidade nervosa, e sobre estados depressivos que afetam o sistema imunológico. Revigorante do coração e mente, reaviva o instinto de cura, sendo útil para doentes crônicos.

Curiosidade: usada pelos aborígenes australianos com fins medicinais (e também canoas), durante a II Guerra os produtores de Tea tree foram dispensados, para manter o estoque para ser em ferimentos dos soldados e no combate às doenças infeciosas.

Em 1770, quando o Capitão James Cook e sua equipe de expedição botânica se deparou com um bosque de Tea Tree achou o aroma de suas folhas semelhante a um chá “picante”, e nomeou  esta árvore de Tea tree, mas por favor, não faça a tradução literal para o português! Chame-o de Tea tree ou de Melaleuca, jamais de “árvore de chá”!

Foto: Denise Hunter/sxc.hu