Bergamota

Hummm… um dos meus aromas preferidos: suave, fresco, cítrico e levemente adocicado. Relaxante de efeito imediato, excelente contra a ansiedade, é antidepressivo e recomendado para problemas psicossomáticos.

O óleo essencial extraído através de expressão à frio, ou destilação à vapor da casca da fruta, a bergamota pertence a família botânica Rutaceae.

De origem italiana, da cidade de Bérgamo, os maiores produtores são Itália, Costa do Marfim, Marrocos, Tunísia, Argélia, Brasil.

As principais propriedades: antiséptico, antibiótico, antiespasmódico, antidepressivo, tônico estomacal, sedativo, antitérmico, vermífugo. No âmbito físico: infecções de pele (psoríase, vitiligo, eczemas, acne, furúnculo), pele oleosa, anorexia, infecções urinárias, cólicas e espasmos estomacais.

Nas questões mentais e emocionais, além dos citados acima, recomendado para o  estresse, insônia, medo, dependência, estimula a liberação de sentimentos reprimidos, redirecionando a energia para seguir em frente.

É melhor se precaver pois é fototóxico! E não deve ser usado puro sobre a pele, use em diluição de 1%, mas evitar o uso 24hs antes da exposição solar.

É usado há séculos na indústria perfumística, ingrediente indispensável das antigas Águas de colônia.

Foto: helovi/Istockphoto

Ansiedade

 

Ansiedade é uma reação natural que advem de situações de perigo ou em momentos de mudança, para adaptação a uma situação nova.

Mudança de escola, cidade, emprego novo, início de relacionamentos, a maioria das situações “novas” despertam a ansiedade natural.

Mas é “natural” enquanto for um “estado”: um alerta para acionar as capacidades do indivíduo de autopreservação e de evolução, mas passa a ser prejudicial quando não se restringe somente a uma situação específica, e tem intensidade e duração maior que o esperado, dificultando a adaptação, e causando problemas ainda maiores.

Estes problemas podem interferir na saúde, nos relacionamentos afetivos e no desempenho profissional ou escolar.

A ansiedade pode ser decorrente de outros desequilíbrios emocionais, como: medo, insegurança, inflexibilidade, timidez excessiva, solidão, pré-ocupação (viver no futuro e não no momento presente), impaciência, possessividade, entre outros.

A ansiedade manifesta-se como:

  •  apreensão, com sensações físicas de frio no estômago ou na espinha,
  • aperto no peito ou palpitação,
  • “nó”na garganta,
  • transpiração excessiva,
  • falta de ar,
  • irritabilidade,
  • tontura,
  • tensão muscular,
  • problemas de sono (dificuldades para adormecer).

Tanto os florais como a aromaterapia auxiliam na diminuição da ansiedade, partindo de um estado mais tranquilo pode-se observar a situação que originou a ansiedade, e tomar a atitude necessária com mais equilíbrio.

Floral de Bach: White Chestnut

 

White Chestnut (Aesculus hippocastanum)

Eu particularmente adoro este Floral, quem nunca foi atormentado por uma preocupação que atire a primeira pedra…

Este Floral de Bach é recomendado para as pessoas que sofrem com pensamentos repetitivos e obsessivos, se consumindo com a intensa atividade mental. Os pensamentos não evoluem para uma conclusão, aumentando a preocupação e a ansiedade, sugando a energia vital. A criativade é prejudicada pela restrição do pensamento.

Foi a 32 a. essência descoberta pelo Dr. Bach, na primavera de 1935, usa-se as flores na preparação pelo método solar.

O Floral White Chestnut contribui para o estado de harmonia com as qualidades de serenidade e clareza mental, melhorando assim a capacidade de reflexão, discernimento e entendimento da vida, é portanto uma essência que proporciona maior consciência para o momento presente.

A sensação após tomá-lo é realmente de paz mental, em alguns momentos é importante associá-lo a outros florais que abordem outros sentimentos envolvidos no conflito.

Em desequilíbrio, estas pessoas muito racionais, podem apresentar sintomas como: cansaço (baixa vitalidade), problemas de concentração e memória, enxaqueca, insônia, dores de cabeça, sinusite, bruxismo, tensão no pescoço e ombros, problemas digestivoas (azia, úlceras). A rigidez e ruminação mental podem gerar também, problemas articulares (artrite, artrose)  ou manias decorrentes de idéias feixas.

Curiosidade: os brotos dessa mesma árvore são usados para fazer o floral Chestnut Bud.

Foto: Michal Zacharzewski/sxc.hu