Estudantes africanos criam sabonete contra a malária

A malaria é a principal causa responsável pelas mortes na África.

Moctar Dembele e Gerard Niyondiko, estudantes de Burundi e Burkina Faso (África) criaram um sabonete especial, chamado FASO SOAP, que em abril de 2013 foi vencedor do prêmio “Global Social Venture Competitionda”, da Universidade de Berkeley, na Califórnia.

O dinheiro do prêmio, U$25mil,  será utilizado para otimizar o produto e fabricá-lo em larga escala.

O sabonete, por ter baixo custo é acessível à comunidades mais pobres, e menor toxidade que os repelentes convencionais.

É feito à base de ervas, manteiga de carité e óleos essenciais. Incluindo na fórmula Cymbopogon Citratus – (Capim limão) e Tagetes Erecta (African marigold), com propriedades larvicida e repelente.

Informações CNN e Catraca Livre.

Receitas com Tea tree

Algumas receitas com o óleo essencial de Tea tree (Melaleuca alternifolia)

No aromatizador para “limpeza” de ambiente, tanto energética, como para ambientes em que há pessoas doentes:

  • 3 gotas de óleo essencial de Bergamota  (Citrus aurantium var. bergamia)
  • 4 gotas de óleo essencial de Folhas de Ho ou Lavanda (Lavandula officinalis)
  • 1 gota de óleo essencial de Tea tree (Melaleuca alternifolia)

No álcool gel, para incrementar o poder antiséptico:

  • 100 ml de álcool gel (neutro, sem essências)
  • 40 a 60 gotas de óleo essencial de Tea tree

Misture bem, guardar em frasco de vidro escuro.

Atenção: se for usar em crianças pequenas use apenas 20 gotas de óleo essencial de Tea tree.

Agora um sabonete líquido com aroma bem fresquinho, que combina com cozinha e ajuda na assepsia das mãos.

  • 250 ml de base neutra de sabonete líquido
  • 15 gotas de óleo essencial de Capim limão (Cymbopogon citratus)
  • 5 gotas de óleo essencial de Hortelã-pimenta (Mentha piperita)
  • 20 gotas de óleo essencial de Lavanda
  • 5 gotas de óleo essencial de Tea tree
  • 5 gotas de óleo essencial de Alecrim (Rosmarinus officinalis)
  • Misture bem, coloque em um frasco de vidro, escuro.

Ainda sobre cidreiras: chás

 A Luciana, minha irmã, escreveu um comentário no post sobre “cidreiras”, e pediu que eu falasse sobre a diferença entre os chás. Vamos lá!

Capim-cidreira ou capim-limão (Cymbopogon citratus): Insônia, palpitações, gases, dores de cabeça.

A Verbena que produz o chá, em Inglês “Vervain” – o mesmo do floral de Bach,  é extraído da Verbena officinalis, espécie diferente da que é extraído o óleo essencial de Verbena (Lippia citriodora), o chá da Verbena officinalis é recomendado para debilidade orgânica, inflamações de garganta, problemas renais e hepáticos.

Lippia alba: problemas gastrointestinais, insônia, resfriados, calmante.

Melissa (Melissa officinalis): Sedativo, diurético, dores de cabeça. Encontrei no livro Plantas Medicinais, François Balmé (Hemus Ed.), a história sobre a famosa e poderosa Água de Melissa, encontrada nas farmácias, que é uma receita usada há séculos pelas carmelitas francesas, indicada como calmante, antiespasmódico e “antistérico” (sic).

Aqui está a receita que François Balmé, coloca em seu livro, eu ainda não fiz… terei que ir em busca das flores de melissa frescas!

 

Água de Melissa

  • 350 grs de flores frescas de melissa
  • 75 gr de casca de limão (só a parte amarela)
  • 40 gr de canela em pau
  • 40 gr de cravo
  • 40 gr de noz moscada
  • 20 gr de coentro
  • 20 gr de raiz de angélica

Macerar todos os ingredientes em 2 e 1/2 litros de álcool 70. Após 4 dias, filtrar com filtro de papel, conservando o líquido em um frasco bem fechado. A dose recomendada é 1/2 (meia!) colher de café em uma xícara de chá ou água quente.

Esta receita foi copiada do livro sem alterações.

 Foto: Cheryl Empey/sxc.hu