Emoções

“A carência das emoções nos torna mal-humorados, rígidos e esteriotipados; quando encorajadas, as emoções perfumam a vida; desencorajadas, elas a envenenam.”  Joseph Collins

E como é difícil lidar com as emoções! Por quê não ensinam desde o jardim da infância a lidar com elas? Principalmente as que causam sofrimento? Acho que porque esse curso iria começar no Jardim de infância e só terminaria no Pós-Doutorado! Com direito a vários cursos de extensão!

Alguns pais até tentam, outros tercerizam o serviço de ensinar a lidar com as emoções para um psicólogo… mas a tarefa é difícil e, por mais que a gente queira, é utopia achar que estamos preparados para digerir a frustração, a raiva, a decepção, a tristeza, a inveja, a perda, o medo… Como somos diferentes, o que é mais fácil para você, pode ser muito difícil para outro.

Lembrando que existem emoções boas e lidar com alegria, felicidade, amor… teoricamente é fácil para a maioria das pessoas.

Toda vez que a gente acha que aprendeu, que sofreu, lá vem a vida e passa uma  rasteira (ou apresenta uma surpresa) e você tem que rever suas crenças e emoções. De novo e sempre.

Difícil é aceitar: o chocoalhão é necessário para a evolução, para tirar velhos padrões e colocar coisa nova na vida. Desapegar, permitir que o velho vá embora e se abrir para o novo, arriscar para um novo perfume e para uma nova cor na vida.

A “escola” ensinaria a reconhecer melhor estas emoções e despertar as ferramentas, inerente a todo ser humano, para a elaboração. Não impediria o sofrimento. Este é inevitável, mas quando administrado, leva ao amadurecimento, e possibilita maiores nuances ao viver.

Os florais e os óleos essenciais podem ajudar nesta caminhada, tornando-a mais perfumada e um pouco menos dolorida.

Foto: sxc.hu/Werdok Werdokarian

Alquimia do encontro


O encontro verdadeiro é aprendizado

supera-se o medo,

transmuta-se  dificuldades.

Amor e entrega geram  vida.

O encontro é transformador.

Fé e esperança constróem o caminho.

Na missão de ser alquimista,

o encontro é verdadeiro.

Em busca do elixir

que alimenta o espírito,

o encontro é divino e

transcende a vida.

Texto: Sílvia Kalvon

Foto: Crystal Church_sxc.hu