Viajando: “jet lag”

Jet = jato  e lag = defasagem, demora. O jet lag é o impacto que o organismo sofre, e enfrenta para se adaptar à diferença de fuso-horário em viagens longas, onde se “atravessa” vários fusos. O corpo está acostumado ao horário anterior e procura mantê-los, causando alguns desconfortos: sono ou falta dele na hora errada, dificuldade de concentração, problemas digestivos, vontade de jantar no café da manhã…

Algumas pessoas se adaptam facilmente outras não. Temos isso em menor grau, na mudança do horário de verão, há pessoas que demoram até 2 semanas para entrar no novo horário!

A  Aromaterapia e os Florais dão uma “forcinha” a esta adaptação.

Para relaxar e conseguir dormir no vôo recomendo: Rescue Remedy (Florais de Bach), Calminatum (Florais Joel Aleixo), dos óleos essenciais a ajuda pode vir da Lavanda (Lavandula officinalis), da Camomila (Matricaria chamomilla ou Anthemis nobilis), ou de qualquer outro óleo essencial de propriedade relaxante como: Néroli (Citrus aurantium), Bergamota (Citrus bergamia). Os óleos essenciais podem ser inalados ou faça um óleo de massagem e pingue algumas gotas no pulso durante o vôo.

  • 10 ml de Óleo Vegetal Semente de Uva ou Amêndoas Doces
  • 6 gotas de óleo essencial de Lavanda e/ou Camomila

Quando é necessário manter-se desperto, utilize os óleos essencias com propriedades energizantes, como: Hortelã-pimenta (Mentha piperita), Alecrim (Rosmarinus officinalis), Eucalipto (Eucalyptus globulos), Laranja Azeda (Citrus aurantium), Grapefruit (Citrus paradisi). Use através na inalação do óleo essencial, ou acrescente 3 a 4 gotas na espuma do banho da manhã (se tiver um sabonete líquido neutro, use a proporção de 1 colher de sopa para 4 gotas de óleo essencial). Atenção: hipertensos não usem alecrim!

Durante o período de adaptação use também os Florais de Bach: Olive (cansaço físico) + Walnut (adaptação), faça o frasco em uma farmácia homeopática ou coloque do frasco stock 2 gotas de cada em uma garrafa de água mineral e beba, aos poucos, ao longo do dia.

A luz  do sol, de preferência, dará ao cérebro referência para adaptação do organismo ao novo horário, segundo Dra. Sandra Aamodt e Dr. Sam Wang, no livro “Bem vindo ao seu cérebro” da (Ed. Cultrix). Algumas dicas deste livro:

  • América – sentido Europa/África: no primeiro dia fique exposto à luz da tarde, a cada dia faça isso 2 horas mais cedo, até estar adaptado.
  • Se você não conseguir dormir à noite: não acenda o abajur! A luz artificial é menos potente que a natural mas, mesmo assim, atrapalhará sua adaptação.
  • Se a viagem for muito longa São Paulo – Tóquio, comece a se expor ao sol no finalzinho da tarde, antecipando esta exposição dia após dia.
  • Os autores mencionam que, por razões desconhecidas a ingestão de melatonina só funciona quando a viagem é para o leste!

Foto: Martin Boose/sxc.hu