Alecrim

alecrim florido

Nome científico: Rosmarinus officinalis

O alecrim, assim como a lavanda, faz parte da família botânica das labiadas, o óleo essencial é obtido através da destilação das flores e folhas, tem aroma intenso, fresco e herbal, de cor amarela clara. Seu significado é orvalho marinho, nativo da costa Mediterrânea.

Produzido na França, Espanha, Tunísia, Marrocos e também no Brasil. Seu rendimento é de 1 a 2%, sendo necessário 100 quilos de alecrim para a produção de 1 quilo de óleo essencial. O preço em média é R$20,00 por 10 ml.

O alecrim forma um arbusto que pode atingir 2 metros de altura, com folhas pontudas, estreitas, cinza-esverdeadas e com flores azul-violeta claras. A lenda diz que suas flores eram brancas, mas tornaram-se azuis após a Virgem Maria colocar seu manto sobre elas quando a Sagrada Família fugia para o Egito.

Há vários relatos do uso do Alecrim desde a antiguidade, indicam que foi uma das primeiras plantas a ser usada pela medicina e pela culinária. Em ambas a propriedade anti-séptica do alecrim é de grande valia. Na culinária primitiva adiava a putrefação de carnes e, na Medicina auxiliava no combate a propagação das ‘pestes’. Na idade Média queimavam seus ramos para expulsar os maus espíritos, tanto é que seu antigo nome francês era incensier. Cavaleiros ingleses usavam-no em bolsinhas junto ao corpo com este intuito. Hospitais franceses queimavam alecrim com zimbro para combater a proliferação de infecções. É da Inglaterra também o hábito de colocá-lo sob o travesseiro de crianças com a intenção de protegê-las contra pesadelos.

É estimulante do sistema nervoso central, auxilia na atenção, memória e mente cansada (ótimo para ambiente de trabalho e de estudos!). Muito útil também nos casos de artrite, dores musculares, reumatismo, por causa de sua propriedade analgésica. Indicado para problemas respiratórios (resfriados, sinusite, asma), tônico cardíaco, do fígado e da vesícula biliar. Auxília na eliminação de toxinas, e pode ser incluído em óleos de massagens para combater a celulite.

Ingrediente das primeiras Águas de Colônia pois na época acreditavam em sua propriedade rejuvenecedora, mas também por possuir propriedades adstringente e anti séptica. Usado para cabelos frágeis e contra queda de cabelos.

Cuidado! Não deve ser usado por hipertensos, epilépticos, grávidas ou pessoas que estejam em tratamento homeopático.

Curiosidade: em espanhol é romero, e em inglês, rosemary.

Foto: Chriki7274/sxc.hu